Para gostar de poesia – Volume III

Poesia

Não há vagas

Ferreira Gullar

O preço do feijão
não cabe no poema. O preço
do arroz
não cabe no poema.
Não cabem no poema o gás
a luz o telefone
a sonegação
do leite
da carne
do açúcar
do pão

O funcionário público
não cabe no poema
com seu salário de fome
sua vida fechada
em arquivos.
Como não cabe no poema
o operário
que esmerila seu dia de aço
e carvão
nas oficinas escuras

– porque o poema, senhores,
está fechado:
“não há vagas”

Só cabe no poema
o homem sem estômago
a mulher de nuvens
a fruta sem preço

O poema, senhores,
não fede
nem cheira

Etiquetas

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

Brasília de Fato nas Redes

Abril, 2017

Filtrar eventos

terça

25

sáb1

dom2

seg3

ter4

qua5

qui6

sex7

sáb8

dom9

seg10

ter11

qua12

qui13

sex14

sáb15

dom16

seg17

ter18

qua19

qui20

sex21

sáb22

dom23

seg24

ter25

qua26

qui27

sex28

sáb29

dom30

25abr09:00- 21:00Rubem Valentim - Construção e Fé

25abr - 2618:00abr 26- 01:00Nu Mercadito - Kakau Lossio e a sensualidade femininaExposição fotográfica


Ver Roteiro completo

X